Revendedor autorizado


04 Recursos para a Governança de RPA – Robotic Process Automation

O Modelo de Governança para RPA tem como objetivo, definir como os recursos e ativos organizacionais serão planejados e gerenciados dentro do portfólio.

O Comitê de Governança é o responsável pela definição do processo de alinhamento dos componentes à estratégia da empresa, desde sua identificação até a autorização do portfólio. Idealmente formado por indivíduos com conhecimento e experiência para assegurar que o processo de governança seja feito de forma efetiva e tenha autoridade para realizar as tomadas de decisões neste processo. Essas decisões envolvem, por exemplo, definir prioridades, incluir, suspender ou terminar um determinado componente (projeto ou programa) que não seja mais prioritário ou não esteja alcançando os objetivos esperados.

Gerir uma força de trabalho digital tem muitas semelhanças com a gestão de uma força de trabalho humana. Há uma equipe de robôs realizando as inúmeras tarefas, em vez de seres humanos. Uma estrutura de gerenciamento humano deve monitorar os trabalhos realizados pelos robôs, garantindo a conclusão das atividades e os benefícios desta tecnologia.

Abaixo, destacamos as premissas para gestão de uma “robôquipe”.

1. Monitor e RPA:

É imperativo ter um recurso dedicado que seja responsável pela gestão dos robôs, garantindo que as tarefas necessárias sejam realizadas com precisão e rapidez. Este profissional, responsável pelo monitoramento, faz a gestão de desempenho da força de trabalho digital (robôquipe) e é capaz de entender: o que precisa ser concluído, o prazo de conclusão da tarefa e quais recursos digitais são necessários. Também é necessário ter compreensão da solução automatizada, permitindo analisar as exceções frequentes e recomendar melhorias para os desenvolvedores.

Todas as responsabilidades são semelhantes ao papel de um Líder de Equipe, existente em todas as operações.

2. Desenvolvedor RPA:

Esta equipe receberá o treinamento necessário para usar o software de automação de processos robóticos (RPA) que a empresa optou por implantar. Os desenvolvedores devem estar engajados com os membros das operações da empresa, com o objetivo de definir os requisitos de desenvolvimento para as soluções automatizadas.

Além disso, devem garantir que a solução seja testada completamente antes de ser implantada. Este profissional precisa ter competência para realizar a perícia técnica bem como ter conhecimento do software de RPA.

Todas as responsabilidades são semelhantes ao papel de um Instrutor, que treina e avalia o indivíduo antes de enviá-lo para trabalhar na operação.

3. Gestor de Oportunidades para Projetos RPA:

Este profissional é responsável por identificar os novos processos elegíveis para aplicação RPA. Ele deve estar envolvido ativamente com todas as áreas operacionais e mapear potenciais projetos para automatização. Um dos atributos deste profissional é ser capaz de permear a cultura de RPA na empresa, sendo um evangelista do processo e comunicando eficazmente os benefícios de migrar para um ecossistema de RPA. Vale lembrar que a empresa estará passando por uma transformação digital e este profissional será responsável por quebrar as barreiras na identificação de projetos, destituindo os silos de conhecimento e trabalhando o modelo mental das pessoas para uma nova era na empresa.

Com a mudança da Cultura Organizacional e aumento da adoção de RPA como norma da empresa, aos poucos este papel torna-se menos crucial pois as próprias áreas operacionais serão capazes de identificar processos que são adequados para automação. Existem semelhanças entre esse papel e o de uma equipe de vendas, cujo objetivo é criar novos negócios para a organização. Isso pode ser comparado a um papel de Profissional de Vendas.

4. Gerente de Governança:

Finalmente, é necessário ter um profissional que possa coordenar toda essa atividade e garantir que a equipe humana que gerencia o RPA esteja executando suas tarefas de forma eficiente. Alguém capaz de definir, criar e gerenciar o quadro necessário para a implementação do RPA, relatando os benefícios e a melhoria nos indicadores que estão sendo conquistados com o RPA. Este profissional garante que os objetivos das equipes estão alinhados com o plano de negócios da organização. Isso pode ser comparado a um papel de Gerente de departamento.

Para que a Transformação Digital aconteça de forma positiva, é imprescindível que a equipe de RPA seja reconhecida internamente como “especialistas em automatizar processos”, gerando valor e diferencial para a empresa, contribuindo para que caminhe para a maturidade na implementação da tecnologia, começando pela instituição de uma Governança.

Mauro Fiore é CTO da LVR Robotic, empresa de software e consultoria especializada na prestação de serviços e soluções em RPA.

Uma organização dinâmica e inovadora, a LVR Robotic utiliza tecnologia proprietária de soluções em RPA, bem como plataformas disponíveis através do nosso parceiro UiPath para implantação de projetos. 

A equipe LVR Robotic é formada por profissionais que possuem vasta experiência no desenvolvimento de projetos RPA, construída ao longo de mais de 15 anos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *